fechar× Entre em contato (71) 3565-5583/ Whatsapp (71) 98193 4241

A democratização da internet no país

O acesso à Internet trouxe inúmeras mudanças para a nossa sociedade.  Sociedade. Uma das consequências é a redução das distâncias, entre as pessoas, pelos contatos virtuais. Além disso a integração e o compartilhamento de informações aumentaram com as redes sociais. Diante deste novo posicionamento da sociedade obtivemos a evolução da internet, no modelo que hoje ela se encontra.
 
Em virtude desta evolução contínua da internet, os meios digitais passaram a ser os meios de comunicação em massa, onde podemos observar uma interação muito maior, sem contar com a praticidade que proporciona, haja visto que essa mesma evolução ditou avanços na sociedade facilitando o diálogo entre as pessoas e até um novo modelo de negócios.
 
Todas as mudanças e transformações digitais na forma de comunicação entre as pessoas, surgiram no Brasil em meados dos anos 90, quando a internet de fato passa a ser utilizada no país e, por consequência, as redes colaborativas surgiram com grande rapidez. Em um primeiro momento os blogs e ato contínuo as redes sociais.
 
Passado um período de evolução das tecnologias, ferramentas e formatos para utilização das redes foram aprimorados, e por conta disso a internet passou cada vez mais, ser mais democrática. Entretanto, essa democracia também passou por mudanças, visto que neste momento toda e qualquer pessoa tinha a possibilidade de produzir seu próprio conteúdo.
 
Com isso, foi necessário que o país obtivesse uma legislação que regulamentasse os direitos e deveres dos cidadãos e das empresas que prestavam serviços na internet, haja visto, a incidência que já neste período de ataques e demais perigos que as pessoas vinham sofrendo naquele ambiente. Assim sendo, em 2012, a lei nº 12.965, também conhecida como Marco Civil da Internet, entra em vigor no Brasil. Essa lei regula o uso da Internet no Brasil, por meio da previsão de princípios, garantias e deveres para quem usa a rede, bem como a determinação de diretrizes para a atuação do Estado.
 
Apesar da democratização da Internet, e por mais que o país tenha evoluído, essa evolução ainda não foi suficiente para que todos os brasileiros tenham acesso à informação, através da internet. No Brasil, das cinco regiões do país, o Nordeste possui o maior percentual de pessoas que não usam a Internet.
 
Por outro lado, apesar de uma parcela da sociedade não ter acesso à informação, o país passa por um novo perfil de usuário com acesso à internet e redes sociais. Em pesquisa feita pela empresa de segurança da Informação (AVG) a mesma apurou que 76% dos brasileiros com mais de 50 anos estão no Facebook e 78% possuem Smartphones.
 
E neste sentido, podemos constatar que essa parcela da sociedade de usuários idosos possui, hoje, um poder de consumo muito maior, utilizando cada vez mais e de forma mais frequente os dispositivos mobiles e aplicativos. Assim sendo, de acordo com a pesquisa feita pela SeniorLab, a terceira idade é o grupo que mais cresce em rede social, um quarto dos idosos brasileiros está conectado ao Facebook, o equivalente a 7,4 milhões. Até agosto de 2018, levando em consideração que essa pesquisa foi apurada em novembro de 2018, 7,4 milhões de pessoas com 60 anos ou mais estavam conectadas à rede social, o equivalente a um quarto do total de idosos brasileiros. Um crescimento de 56% desde 2016. O Rio de Janeiro é o estado onde a presença desse grupo no Facebook é maior. Mais de um terço dos idosos fluminenses, cerca de um milhão, está na rede social.
 
De acordo com a referida pesquisa, a popularização dos smartphones foi um propulsor dessa maior participação, e tem como principal motivação o relacionamento com parentes e amigos. E caminha lado a lado com o avanço dessa parcela da população no e-commerce.
 
Por fim, a pesquisa ainda destaca que praticamente metade (49%) dos idosos no Facebook já comprou pela web e mais, é um público que não só posta foto, mas já experimenta relações com aplicativos de transporte e streaming de música.
 
Além da SeniorLab, pesquisa feita pelo IBGE mostra que 19 milhões de celulares estão nas mãos de pessoas com 60 anos ou mais, o que equivale a 63% dos 30,2 milhões de idosos no país.
 
Logo, estamos diante de um novo público de consumidores que passam a ser significativos em qualquer ramo de atuação das empresas no âmbito digital.
 
Os números da pesquisa:
 
 USO DE DISPOSITIVOS
• Dentre os dispositivos digitais, o mais comprado/usado é o celular, utilizado por 86% dos entrevistados, seguido por smartphones com 78%, Desktops ou PCs com 78%, laptops com 77%, câmeras com 74%, tablets com 60%, e-books com 18%.
 
 • 98% dos respondentes usam aplicativos em seus dispositivos. Os mais predominantes são os de comunicação com 79%, apps sociais (73%), apps de bancos/financeiros (71%), aplicativos de compras (61%), apps de notícias (59%), aplicativos de viagens (59%), entretenimento (50%) e aplicativos ligados à saúde e exercícios físicos (26%). Em todos os casos, o número de usuários do Brasil é o maior entre os países pesquisados.
 
MÍDIAS SOCIAIS

• 76% são usuários do Facebook, 52% usam o Google+, 52% usam o LinkedIn, 25% o Twitter, 24% possuem Instagram, 4% o Flickr. Em todos os casos, o número de usuários do Brasil é o maior entre os países pesquisados e apenas 9% dos respondentes não possuem nenhuma rede social (menor índice entre todos os países).
• Apenas 9% dos respondentes não usam algum tipo de serviço de comunicação.
• Os serviços de Comunicação mais utilizados são o Skype e WhatsApp, com 76%.
• 25% usam o Facetime (maior número entre todos os países).
 
ATITUDES EM RELAÇÃO À TECNOLOGIA 
 
• 95% da amostra concordam com a afirmação “A Tecnologia está melhorando minha habilidade de me comunicar com amigos e familiares“.
• 80% concordam com a afirmação “A tecnologia melhorou minha capacidade de me entreter“ (maior número entre todos os países).
• 43% concordam com a afirmação “A tecnologia melhorou minha capacidade de me manter em forma e saudável“.
• 87% concordam com a afirmação “A tecnologia melhorou minha capacidade de comprar on-line“ (maior número entre todos os países).
• 85% concordam com a afirmação “A Tecnologia ampliou minha capacidade de lidar com transações bancárias”.
• 97% concordam com a afirmação “A Tecnologia melhorou minha habilidade de encontrar informações“ (maior número entre todos os países).
• 88% concordam com a afirmação “A Tecnologia melhorou minha habilidade de planejar viagens” (maior número entre todos os países).
• 70% concordam com a afirmação “A Tecnologia melhorou minha habilidade de compartilhar minha vida com outras pessoas por meio de fotos, vídeos, etc” (maior número entre todos os países).
• 41% dos entrevistados acham fácil acompanhar/usar as tecnologias mais recentes. Para 5% isso é muito difícil ou impossível.
 
“COMO A TECNOLOGIA ME FAZ SENTIR? ”

• Em contato com outras pessoas – 81% (maior número entre todos os países).
• Em contato com as novidades – 70% (maior número entre todos os países).
• Feliz – 47% (maior número entre todos os países).
• Seguro – 32% (maior número entre todos os países).
• Jovem – 31%
• Vulnerável – 19% (maior número entre todos os países).
• Preocupado – 12% (maior número entre todos os países).
 
COMO É A RELAÇÃO COM OS NETOS? (Dos que responderam, 51% possuem netos)

• 43% conversam com eles utilizando apps de comunicação como o Whatsapp!
• 42% via Skype ou outro tipo de videoconferência
• 42% se comunica com eles por email.
• 32% via mensagem de texto
• 17% via programas de bate-papo para laptop/PC
 
Mais números em relação à comunicação com os netos:
 
• 65% concordam com a afirmação “Graças à Tecnologia, eu converso mais com meus netos do que o fazia com meus avós”.
• Além disso, 27% dos entrevistados gastam mais tempo se comunicando com seus netos online (Skype, mensagens, whatsapp) do que offline.
• 25% já compraram um aplicativo (para smartphone ou tablet) de presente para seus netos.
• 46% já jogou com seus netos em um dispositivo como smartphone ou tablet.
 
QUAIS CONSELHOS DE TECNOLOGIA DÃO AOS NETOS?

• Não visitar sites perigosos – 65%
• Contar aos pais e avós qualquer problema que ocorrer online – 64%
• Não falar com estranhos – 63% (maior número dentre todos os países pesquisados).
• Não compartilhar muita informação online – 62%
• Lembrar que tudo que é postado permanence online para sempre – 44%
• Não gastar muito tempo online – 56%
• Ser gentil ao postar comentários e conversar com pessoas online – 47% (maior número dentre todos os países pesquisados).
• 12% não dão a eles qualquer tipo de conselho. Leia a revista

Carregando...